Arquivo da Categoria ‘Tudo até aqui’

Organização aposta na diversidade e 7º Usina bate recorde de público

8 Comentários » segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Miguel Antunes

No sábado (7), como todo mundo aqui já sabe, rolou mais uma edição do Usina 21 (a sétima, acredita?). O evento foi um sucesso. Mais de 2.500 jovens – o maior público do Usina até agora – foram automaticamente transformados em usineiros ao som dos primeiros acordes da banda do Projeto Marcando a Geração (MAG), da Comunidade da Graça de Guarulhos. E isso, claro, era só o começo do dia que traria mais de 40 oficinas; mais de 10 painéis e histórias de alguns, digamos, heróis da fé “contemporâneos”; outra dezena de apresentações musicais, de dança e de teatro; terminando com show do Templo Soul.

Manhã
Às 9h30, os usineiros não sabiam se faziam a coreografia ou se riam da dança dos integrantes do Ministério JV na Estrada (MV e companhia), devidamente trajados de palhaços, que divertiram e esquentaram as “caldeiras” da nossa usina de idéias. Aliás, a coisa ficou quente pra valer na preleção de abertura, com (“só”) Ariovaldo Ramos.

Num exercício imaginativo digno de “A Cabana”, do canadense Willian Young, mas com o conhecimento teológico que dispensa comentários, Ari surpreendeu os jovens apresentando alguns dos que poderiam ter sido os diálogos entre Deus, Jesus e o Espírito Santo antes mesmo da criação do mundo. Papo cabeça? Com certeza, mas na boca do Ariovaldo ficou simples, simples.

Para ele, antes de decidir criar o mundo e a Humanidade, a Trindade precisou calcular todo o sacrifício que teria de ser feito para garantir o sucesso de Seu plano. “Haja cruz, antes de haja luz”, disse Ari, foi o primeiro passo para o começo de tudo. A discussão, então, caminhou para nossa relação com o Planeta e com o próximo. “Quando Jesus falou ‘tive sede e não me destes de beber’, Ele não se referia a um copinho d’água, mas à preservação dos recursos hídricos do planeta, e ao empenho para tornar universal o acesso a eles”, atacou.

O desfecho da conversa com Ariovaldo pareceu mais uma missão deixada para todos os usineiros. “Agora, é com vocês!”, arrematou. E, a julgar pelo número de inscritos em cada oficina, a galera levou a sério. Ninguém ficou de fora e, assim como o evento, as palestras da manhã e da tarde bateram recordes de quórum. E olha que não estava fácil para escolher…

“Almoço”
Primeiro, as da manhã: “Stand Up Comedy – O humor como ferramenta de crítica”, com os comediantes Carol Zócolli (finalista do concurso 8º Integrante do CQC), Warley Santana (ex-CQC) e Osmar Guerra (produtor da Record); ou “Comunique-se”, com Sérgio Pavarini? “Grafiteiros e Arteiros”, com Jota (da Vineyard – SP), ou “Anjos e Demônios – O abuso sexual de crianças dentro da igreja”, com Carlos Bezerra Jr. (principal idealizador do Usina 21, vereador de São Paulo e relator da CPI “da Pedofilia)? Dúvidas cruéis, né?

Isso, sem falar de “Teatro e Expressão Corporal”, com Kaio Pezutti; “Mundo do Hip Hop”, com Borracha; “Mulher e seu papel fundamental”, com Sara de Roure; “Violência Urbana”, com Celi Paulino e outras 17 oficinas que rolaram antes do almoço – se é que dá pra classificar como uma simples pausa para “almoço” o que acontece no Usina das 12h às 14h30.

Explico: enquanto uma galera almoça, outra pode assistir a um tanto de apresentações e intervenções artísticas. Tem gente que até perde a fome. Nessa edição, nosso Espaço Cultural, como é conhecido esse intervalo, trouxe, no auditório Ruy Barbosa, as bandas Trinitas, Rap Sensation e Kalamo, e, ao ar livre, o grupo de dança Bronks, o Amarte, e o rapper Fernandinho CS.

Tarde
Pra quem almoçou e pra quem até esqueceu do almoço, às 14h30 começaram as oficinas da tarde. E cabeça de muito usineiro deve ter dado nó de novo. Foram cinco preleções a menos que pela manhã, 20 ao todo, mas a organização do evento empatou o jogo com cinco golaços na escolha dos painéis: “Como acabar com a fome e a miséria”, com Jung Mo Sung, teólogo católico, João Boca, responsável por trabalho de evangelização e assistência na Cracolância (centro de São Paulo) e Leandro, da Rede Fale; “Educação para todos”, com o teólogo Levi Araújo e a mestra em psicologia Jacira Lima; “Igualdade entre todas as pessoas”, com Sara de Roure, da Marcha Mundial das Mulheres, e o portador de necessidades especiais Anderson Gu; “Acesso universal ao esporte, tecnologia, comunicação e saúde”, com Tércio Obara, do Vale da Bênção, e Rafael Lira, da Revista Viração. E, pra fechar, “Investimento em cultura”, com Hudson Parente, integrante do Projeto 242; e “Qualidade de Vida”, com Marcos Custódio, da ONG A Rocha-Brasil, Valter Ravara, do Instituto Gênesis, e Marco Antonio, especialista em Gestão Ambiental.

Vale lembrar que, enquanto tudo isso rolava, Analzira Nascimento, missionária em Angola por quase 20 anos; Ziel Machado, teólogo, batizado católico e nascido numa família espírita; Ariovaldo Ramos, filósofo e pastor; Roberto Diamanso, cantador nordestino, poeta cristão e pai de 15 filhos (sendo 12 adotados); e Levi Araújo, um pastor batista de berço pentecostal, contavam, sem reservas, tudo sobre sua caminhada e como se tornaram o que são.

“O Usina é um espaço especialíssimo. Não é feito por uma só pessoa, mas existe por tudo isso que se vê aqui. Por esse tanto de jovens de diferentes tribos, que se une a palestrantes dos mais diversos, de ideologias e pensamentos dos mais variados, todos juntos dizendo de múltiplas formas que é possível propor uma Igreja diferente, que se pode, sim, falar de Missão Integral em formatos inusitados e criativos. Isso tudo é uma provocação. O próprio Usina é uma provocação. Não nos propomos a responder perguntas. O que queremos é que o jovem saia daqui com mais delas do que entrou, mas disposto a refletir e pôr a mão na massa, e a intervir em seu bairro, em sua realidade, com seu próximo, em seu país”, sintetizou Carlos Bezerra Jr.

Encerramento
Já no fim da tarde, pouco antes de o Templo Soul assumir a responsabilidade de não deixar nenhum usineiro parado, o Ministério JV na Estrada voltou ao palco para peça de teatro e Levi Araújo fez a oração final. Depois, a festa se estendeu regada à black music evangélica e à marcante participação dos usineiros, que não queriam mais ir embora.

Usina pra você é…
Como de costume a frase foi completada pelos jovens, lá no Mackenzie, ao longo do encontro. Entre usineiros de primeira viagem e outros mais tarimbados, a variedade de opiniões e definições que ouvimos dá a medida da diversidade de mais essa edição do Usina. Para Gabriela Marcondes, 22, estudante de psicologia, “Usina é tudo aquilo que não se fala na igreja sem deixar de ser cristão”; para o Douglas Mariano, 26, que trabalha na área de criação de uma agência de publicidade, é a “mistura de todas as tribos num só lugar pra um só fim” o que melhor define o encontro. Para Lucas Fernando Lima, 17, vestibulando, é  um exercício de pareidolia: “uma maluquice que faz sentido”, e para Liriane de Souza, 24, formada em enfermagem, o significado é direto: “Usina é tudo de bom”.***

——–
E você, não foi procurado para dizer o que é o Usina durante o evento? Também, com aquele tanto de gente, não dava pra falar com todo mundo mesmo, né? Mas sem fazer bico, o espaço do blog é pra isso mesmo. Pra quem quiser completar, vá enfrente. Pra você o Usina é…

É isso, gente. O site continua. Nos próximos dias postaremos as fotos do encontro, outros conteúdos sobre o evento etc. A gente se vê por aqui (plágio, eu?) e até o próximo Usina. A contagem regressiva já recomeçou! Valeu a todos e a todas!

O que rolou até agora

5 Comentários » sábado, 7 de novembro de 2009

por Rodrigo Fonseca Silva

O Usina 21 começou bem cedo, logo as 6h da manhã os voluntários já estavam em frente ao Auditório Ruy Barbosa para receber treinamento, orientação e, o mais importante, uma oração pra começar.

Fernando, coordenador do Usina, e  Flávio, dos voluntários, passaram as dicas pra galera, ensinando a como receber o pessoal, a divisão das tarefas, quem recebe os “oficineiros” e como recebê-los, indicar os locais das oficinas pro pessoal, auxiliar os palestrantes – todas as questões que envolvem um grande evento como o Usina 21.

O encontro começou com apresentação da banda da Comunidade da Graça de Guarulhos, o pessoal do Projeto Mag. Logo depois, entrou o pessoal do Jovens da Verdade com o Terra dos Palhaços,divertindo todo mundo.

Em seguida, o vereador Carlos Bezerra Junior ficou com a palavra para contar a história do Usina 21, e como tudo começou. Ele fez menções a palestrantes que já passaram pelo evento e lembrou a motivação original do Usina: aproximar a juventude evangélica dos principais debates da sociedade. Logo após, chamou o pastor e conferencista Ariovaldo Ramos para ministrar uma palavra aos usineiros.

Com Ari, a conversa foi sobre a criação. Num exercício imaginativo, ele presumiu como a trindade discutiu todos os acontecimentos que envolveriam a humanidade antes mesmo de criá-la, falou a respeito de nossa responsabilidade em cuidar do mundo, responsabilidade social, política e tudo o que envolve a preservação do planeta e do próximo. “Antes de evangelizar, Deus fez ação social”, disse Ari. “Quando Jesus diz que teve sede e não lhe deram de beber, Ele não quis dizer que não trouxeram-lhe um copo d’água, mas que é de nossa responsabilidade cuidar dos recursos hídricos da Terra, e do acesso a eles”, afirmou.

Com o fim da palestra do Ariovaldo, a turma desceu para as oficinas, que tiveram em média 2 horas. A interação entre usineiros e palestrantes, sempre prioridade no Usina, foi marcante. Eles usaram toda a experiência para impulsionar as pessoas à ação, a fazer diferença nos contextos em que estão inseridos.

Esse é o tom do Usina 21, Jovens que possuem idéias e querem transformar o mundo com o bom perfume de Cristo.

Veja quem estará no Usina deste ano…

4 Comentários » sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Alexandre Robles – Teólogo
Analzira Nascimento – Voluntários Sem Fronteiras e Projeto Radical Africa
Anderson Gu – Deficiente físico e atua como professor universitário da área contábil
Andréia – Roda de Leitura
Ariovaldo Ramos – Teólogo
Bruno dos Santos – Teólogo
Caio César – Rede Fale
Carlos Alberto Bezerra Jr. – Médico, Pastor e Vereador de São Paulo
Carol Zócolli – Finalista do concurso “Oitavo CQC”
Celi Paulino – Delegada da mulher
César Azevedo – Líder dos surfistas de Cristo
D4J
Daniel Maia – Músico, compositor e produtor�
Eirene e SOS Global
Gedeon Alencar – Sociólogo
Gustavo da Hora  – ABU
Guto Melo: Dono da agência de comunicação que promoveu o premio jovem 2009
Henrique Courá- ICEC
Hudson Parente – Projeto 242
Jacira Lima – Teóloga e Mestra em Psicologia
João Boca -  Missão CENA (Comunidade Evangélica Nova Aurora)
Jota – Vineyard SP
Jung Mo Sung – Teólogo
JV na Estrada
Levi Araújo – Teólogo
Marco Antônio – Mestre em Gestão Ambiental
Marcos Custódio – A Rocha Brasil
Marcus Vinícius – CONJUVE (Conselho Nacional da Juventude)
Marson Guedes – Mestre em psicologia, escritor e orientador vocacional
Osmar Guerra – Produtor da Rede Record
Tércio Freire – Vale da Benção
Rafael Lira – Revista Viração
Roberto Diamanso – Músico
Rodrigo Silva – Missão Evangélica BASE
Rose Santiago – CERVI  (Centro de Reestruturação para a Vida)
Sara de Roure – Marcha Mundial das Mulheres
Sérgio Pavarini – Blogueiro
Sexxx Church
Silveira- FLG
Sílvia Kivitz- Rede Solidária IBAB
Tiago – ONG Makanudos
Toca do Estudante
Valter Ravara – Instituto Gênesis
Warley Santana – ex-CQC
Welinton Pereira – Visão Mundial do Brasil
Ziel Machado – Historiador
 E ainda tem mais uma galera confirmando…

Cada vez mais quentes

1 comentário » terça-feira, 29 de setembro de 2009

Faltando somente sete semanas para o Usinar, as reuniões estão bombando, cada vez mais produtivas e divertidas. A galera do GT está a todo vapor, construindo o Usina 21 2009, colaborando com as mais variadas idéias na formação desse evento que já está agitando e mexendo com a vida de muita gente.

 A reunião mais recente aconteceu no dia 16 de setembro, no plenarinho da Câmara Municipal de São Paulo. Nesse encontro a galera sugeriu mais temas para as oficinas, alguns nomes importantes para preletores, além de novas bandas… Todos os detalhes passam pelos usineiros que participam dessas reuniões. Com tanta gente se dedicando, não é a toa que fomos a única iniciativa cristã a ganhar o troféu do Prêmio Jovem Brasileiro (como estamos humildes, não?!).

 É importante ressaltar que novos usineiros são sempre bem vindos, até porque o Usina é um lugar de diversidade, onde todas as tribos se unem e acreditam em uma sociedade melhor.

ONGs E Movimentos Mobilizam São Paulo No Dia Mundial Sem Carros

1 comentário » segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Nunca a questão do aquecimento global teve tanta urgência em ser discutida entre governo, ONGs e comunidades. E, aqui no “Blog do Usineiro”, a agente não podia (e não vai) deixar isso de lado. No dia 22 de Setembro, ou seja, amanhã, mais de 1,5 mil cidades do mundo todo participarão do Dia Mundial Sem Carro, e São Paulo também vai estar nessa. Dê uma olhada no manifesto da data neste ano e engaje-se, amanhã, deixe seu lindo carrinho em casa e vá trabalhar de bike!

Manifesto do Dia Mundial Sem Carro 2009

 São Paulo precisa e pode ter um trânsito melhor, um transporte público eficiente e de ótima qualidade, muito mais ciclovias e ciclofaixas, um ar mais limpo e respirável e melhor qualidade de vida para todos que aqui vivem e trabalham!!!

O trânsito de São Paulo ocupa um tempo precioso de todos os que vivem, estudam e trabalham na cidade. Tempo precioso de nossas vidas, tempo que deixamos de fazer inúmeras outras atividades ligadas à cultura, ao lazer, aos estudos, à família e aos amigos, além do tempo que perdemos de sono e descanso.

Não bastasse todo este tempo perdido, ainda ficamos expostos a um trânsito totalmente poluído, respirando gases nocivos que causam inúmeras doenças respiratórias e cardiovasculares, além de tumores e abortamentos, entre outras. Estudos da Faculdade de Medicina da USP apontam que morrem na cidade, em média, 12 pessoas por dia devido à poluição, encurtando a vida media dos paulistanos entre um ano e um ano e meio. Além do custo em vidas, os impactos operacionais e financeiros no sistema de saúde, causados pela poluição, são imensos. No mesmo sentido, é importante lembrar que o setor de transportes é responsável por 15% dos gases que causam o aquecimento global e a mudança climática. O diesel e a gasolina consumidos no Brasil estão entre os piores do mundo e a indústria automobilística fabrica motores menos poluentes em vários outros países e no Brasil apenas para exportação. A inspeção veicular, obrigação dos governos estaduais e dos grandes municípios, ainda está muito longe de cumprir seu papel.

No caso dos acidentes de trânsito, morrem cerca de 4 pessoas por dia na cidade – 44% pedestres, 18% motociclistas, 9% passageiros ou motoristas de autos e 3% ciclistas. Parece mentira, mas a grande vítima dos acidentes de trânsito são aqueles que estão se locomovendo a pé, o que demonstra a lógica perversa das cidades que priorizam seus espaços e fluxos para os automóveis. Estudo da Fundação Getúlio Vargas calcula que a cidade deixa de gerar R$ 26,8 bilhões por ano devido à perda de tempo nos congestionamentos e aos custos totais ligados aos acidentes e doenças derivadas do trânsito.

Muitos fatores alimentam todos estes números sinistros, mas vale lembrar os principais. Nosso modelo de desenvolvimento urbano promove uma enorme desigualdade social que obriga milhões de pessoas a se locomover por grandes distâncias para ter acesso ao trabalho e aos serviços e equipamentos públicos. Vivemos, cada vez mais, um modelo de mobilidade e transporte que oferece todos os incentivos possíveis para a locomoção por meio do automóvel. Enquanto isso os investimentos em transporte público coletivo continuam se arrastando lentamente, ocorrendo, em 2009, redução da frota de ônibus em circulação na cidade – segundo o Detran-SP, a frota de ônibus caiu de 41.876 (jan/09) para 41.628 (jun/09). Bilhões de reais que poderiam melhorar imediatamente o transporte público serão gastos em túneis, novas pistas e avenidas – e ampliação de antigas – que em pouco tempo estarão entupidas (800 novos carros entram por dia nas ruas de São Paulo!).

Precisamos romper esta lógica perversa: enquanto o Governo Federal promove incentivos fiscais e creditícios para a indústria automobilística, inclusive sem nenhuma contrapartida em termos de motores menos poluentes e uma matriz energética mais limpa, os governos estaduais e municipais vão rasgando túneis e avenidas com recursos públicos! Se não reagirmos, todos estaremos cada vez mais estressados, doentes, presos em novos congestionamentos e muito distantes de termos um transporte público coletivo decente, saudável e eficiente, como todas as principais cidades do mundo já o possuem há muito tempo.

Diante dessa realidade que pode ser mudada, propomos:
- Aceleração e prioridade absoluta para o metrô, trens e os corredores de ônibus;
- Ampliação substantiva da frota de ônibus da cidade com serviço de alta qualidade;
- Reativação e fortalecimento do Sistema Trólebus;
- Priorização de ações da CET para aumentar o fluxo do transporte coletivo;
- Definição de ações e metas para reduzir significativamente os congestionamentos;
- Cumprimento da lei que prevê ciclovias em novas avenidas e construção de todas as ciclovias e ciclofaixas já projetadas;
- Cumprimento da Resolução 315 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) para melhorar a qualidade do diesel;
- Início imediato da substituição do diesel e gasolina por combustíveis mais limpos;
- Comercialização no Brasil de automóveis, ônibus e caminhões com a mesma tecnologia menos poluente que a indústria automobilística utiliza nos países europeus e nos Estados Unidos;
- Segurança para o pedestre, calçadas de boa qualidade, acessibilidade universal para os deficientes físicos, rigor nas leis de trânsito e educação cidadã para termos uma cidade que garanta uma mobilidade digna, inclusiva e segura;
- Inspeção veicular em toda a frota automobilística;
- Redimensionamento dos investimentos públicos para diminuir a desigualdade social e regional na oferta de trabalho e no acesso a equipamentos e serviços públicos;
- Construção de um Plano Municipal de Mobilidade e Transporte Sustentáveis, com ampla participação da sociedade para decidir pelos investimentos públicos na área;
- Basta de desperdício de dinheiro público em projetos atrasados, ineficientes e insustentáveis!

Coletivo de Mobilização do Dia Mundial Sem Carro

 Fonte: http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/9119

Usina 21 leva Prêmio Jovem Brasileiro 2009

10 Comentários » quarta-feira, 16 de setembro de 2009

1

Os usineiros já tem mais um motivo pra se orgulhar. E é um ótimo motivo: o Usina 21 ganhou o Prêmio Jovem Brasileiro 2009, ontem (15), na categoria Social/Cultural – nosso evento foi o único de cunho cristão reconhecido pelos jurados! Desculpa aí, hein, não é pra qualquer um!rs

Pra quem não sabe, a tal premiação é a mais importante do gênero para iniciativas sociais de juventude. Eram diversos projetos e movimentos inscritos e um tanto de jornalistas de São Paulo, Rio de Janeiro, região Nordeste e Sul do País, pra avaliar cada uma das organizações que concorreram.

O evento, ontem à noite, no auditório do Memorial da América Latina, zona oeste de cidade, reuniu mais de 500 pessoas, além dos cerca de cinco mil que assistiram ao vivo pela internet. E a comitiva do Usina chegou cedo. Ainda não eram 19h (o evento começou às 20h30), e nossa trupe estava lá, de prontidão, composta pelo pessoal da organização, ou seja, o Fernando Diniz, a Carlinha e o Brunão; alguns “usineiros Vips”, como o pastor Libério, o Gedeon Alencar e o Fabrício Cunha; o Francisco Silva, representando o Conselho de Juventude; e claro, o Samuel dos Santos, o grande vencedor da nossa promoção.

A notícia do nosso premio surgiu logo no começo do encontro. Marcelo Tas, apresentador do Custe O Que Custar (CQC), da Band, anunciou o Usina 21, “o maior evento anual de engajamento social da juventude cristã no país”. Palavras dele, hein?! Daí, foi aquela festa.

Pra agradecer e dar o nosso recado, quem subiu ao palco representando nosso, agora, laureado evento, foi o Fernando Diniz. “Eu falo em nome de inúmeros jovens, gente que acredita que é possível ser diferente, gente que acredita em transformação social. Agradeço a escolha e o reconhecimento. Esse prêmio é para os usineiros todos”, falou. Nosso coordenador ainda lembrou dos idealizadores do Usina, “em especial do vereador Carlos Bezerra Jr., cujo mandato promove nosso evento”, destacou.

Além do Usina 21, foram premiados também o Instituto Sou da Paz, a organização Um Teto Para Meu País – grupo de universitários que atua na América Latina construindo casas populares -, o Clube Escola – programa da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação; entre outros.

No meio do Prêmio, até o Brunão foi entrevistado pelo CQC e aproveitou uma deixa da repórter pra falar do Usina. Vamos ver se vai pro ar, né?!

PROMOÇÃO A JATO DO USINA 21

2 Comentários » sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Seguinte, o Usina tá concorrendo ao Prêmio Jovem Brasileiro e, nós, da organização, queríamos levar a galera em peso pra torcer no evento que apresentará os vencedores. Mas, os convites são limitados.

Então, como no Usina tudo é democrático resolvemos fazer uma promoção pra levarmos com a gente o Usineiro mais criativo e um acompanhante. Explicando:

Responda à pergunta: “Por que eu mereço um prêmio jovem?”

Envie sua resposta para usina21@usina21.com.br, com no máximo 5 linhas até às 12h de segunda-feira, 14.

A melhor resposta ganhará 2 convites para participar dessa grande festa da juventude brasileira que acontece no dia 15 de setembro, no auditório do Memorial da América Latina, com apresentação de Marcelo Tas, do CQC.

Agora, é por a cachola pra funcionar e escrever alguma coisa bem legal pra poder ir curtir essa grande festa – e, se ganharmos, vamos comemorar junto esse prêmio que também será seu, é claro!


***O prêmio Jovem é o primeiro e único evento de premiação da juventude brasileira, presta homenagem aos jovens que se destacam pela iniciativa e pelo mérito em suas atividades na sociedade.

Usina 21 concorrerá ao Prêmio Jovem Brasileiro

1 comentário » terça-feira, 8 de setembro de 2009

É isso mesmo, usineiros: estamos concorrendo a uma das mais bacanas premiações para movimentos de juventude no país. A informação acabou de chegar. Saiba os detalhes no texto da usineira Carla Santiago, a Carlinha.

 Pois é, galera, o Usina 21 está se destacando cada vez mais no envolvimento social da juventude. Nosso evento foi indicado e concorrerá ao Prêmio Jovem Brasileiro, um dos mais importantes do gênero, na categoria social/cultural.  Será dia 15 de setembro, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

 Idealizado pelo empresário Guto Melo, de 25 anos, o prêmio foi criado para homenagear jovens que se destacam em suas áreas de atividade. Nesta edição, o encontro vai dar destaque a 40 jovens e projetos de juventude.

 As categorias indicadas são: Social/Cultural, Empresarial, Medicina, Esporte, TV (atores, personalidades, programa jovem e jornalístico), Música (bandas, cantores, trilha sonora, revelação), Dança, Moda, Entretenimento (teatro, revista, rádio, sites e festas), Estudante, Publicidade, Gastronomia; e as novas: Publicidade Online, Fotografia e Meio Ambiente.

 Nesta 8º edição da premiação quem subirá ao palco para conduzir o show é Marcelo Tas, o apresentador do programa “Custe o Que Custar” (CQC), da Band. Com convidados especiais, bandas, e outras personalidades confirmadas no evento, a cerimônia de premiação contará ainda com a presença da banda CPM22 e da Cia. Raça de Dança.

 A escolha dos vencedores será feita por uma comissão especial, formada por jornalistas de São Paulo, Rio de Janeiro, região Nordeste e Sul do País, como colunistas, críticos e convidados pela organização do evento, enfim, gente que está antenada no mundo jovem.

 O Prêmio Jovem já faz parte do calendário oficial dos grandes encontros de juventude no país e terá transmissão ao vivo pela internet, no site premiojovem.com.br.

 

Falar o que quiser e ouvir o que nem imagina

1 comentário » quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Sabem que no Usina tudo é discutido, né? Do nome da banda que vai fazer o show de encerramento ao preço da inscrição pro evento, nada escapa incólume da opinião sagaz dos usineiros do GT.

Ontem (26), na reunião que rolou no plenarinho da Câmara, o pessoal estava especialmente inspirado, e, pra regular um pouco as visões, digamos, conflitantes, o lema do encontro acabou ficando próximo de algo como: todo mundo pode falar o que der na telha, mas pode se preparar pra ouvir o que sequer imaginou (Pastor Libério que o diga!)!

Aliás, como no Usina fala quem quer, logo depois desse breve registro do que rolou no encontro de ontem, abrimos espaço para um texto super bacana do usineiro Rodrigo Fonseca, que participa ativamente das discussões do GT, sobre suas impressões a respeito do evento, do sociedade, enfim, mil coisas.

Mas, calma. Quem não esteve na reunião não precisa se assustar, o clima passou longe de esquentar, nada além da ótima troca de idéias que faz do Usina um evento plural e que tem espaço pras expressões mais diferentes de cristianismo, ação social, artes, meio ambiente… Ah, enfim, não vou escrever tudo, ta?!

Bom, vamos direto ao(s) ponto(s). Além das discussões, na reunião pensamos algumas ações de marketing e divulgação do Usina que deverão ser feitas nos próximos eventos evangélicos de peso. Também aproveitamos para falar um pouco da composição da equipe de organização – ou voluntários =) – que dará “aquela” força nesta edição. Ao que tudo indica esse pessoal vai receber treinamento da galera da Toca do Estudante, que funciona na USP. Afinal, ninguém aqui acha que é simples cuidar de, no mínimo, 40 palestrantes, montar som pra três bandas, ajeitar comidinhas e bebidinhas pros oficineiros vips, controlar as inscrições, dar conta de quase três mil usineiros e estar a postos pra qualquer imprevisto, né?

Ah, importante: ta marcada pra segunda-feira (31), de manhã, a reunião dos idealizadores do Usina. Esse pessoal é quem teve a idéia de fazer o primeiro Usina, lá em 2002. Desde então, o tema principal de cada edição do Usina sai desse encontro. São presenças confirmadas pra discussão Gedeon Alencar, Ziel Machado, Ageu Lisboa, vereador Carlos Bezerra Jr. e o Fernando, que é o coordenador do Usina.

Agora, com vocês, Rodrigo Fonseca

USINANDO PARA CRESCER E FORMAR…

Ontem, dia 26/08/09, rolou mais um GT (Grupo de Trabalho do Usina 21). Acho que definir como “Reunião” não seria a melhor opção, foi na verdade, no meu ponto de vista, um excelente período de comunhão, reflexão e claro planejamento para o próximo Usina 21, que vai rolar dia 7 de novembro.

O que de mais interessante rolou e creio que isso deve ser levado para o Usina é: Qual o seu dom? Para que ou para o que fomos chamados no Reino de Deus?

A Reunião foi na Câmara dos Vereadores de São Paulo. Será que fomos chamados para ser políticos, pastores, mestres, doutores, mexer com artes, aconselhar? Mas o mais importante é andarmos todos debaixo do mesmo cabeça, que é Cristo. Fomos chamados para ser Luz e Sal, como diz o texto, mas creio que também fomos chamados para ajudarmos a Igreja de Cristo, na formação de líderes, homens e mulheres que se infiltrarão em todas as áreas da sociedade, e assim fazer diferença nesse mundo (a Igreja).

O que nós como cidadãos e cristãos podemos fazer para mudar a realidade de nossa sociedade, de nossa comunidade local, onde nossas igrejas estão inseridas? Não formamos homens e mulheres para terem participação política efetiva, não formamos pessoas com o intuito de lutarem pela ecologia, ou pelos problemas sociais. O Usina é essa oficina de idéias, onde as engrenagens podem voltar a rodar, e mais engrenagens se juntarem, para mover esse país a um lugar melhor, um lugar onde Cristo possa resplandecer, não em obras apenas, mas no mais essencial da vida cristã, Transformação de Vidas…

Essa tem sido a tônica dos GT´s, o que fazer para que a juventude evangélica e não evangélica possa ser tocada para uma realidade, além dos clipes musicais, novelas, e pseudo realities shows…

O Usina tem a intenção e o propósito de formar pessoas com o caráter de Cristo, pessoas que se comprometem como Cristo, que se comprometem com pessoas… Pessoas que andam com pessoas em igualdade, independente do seu “status” social, ou sua riqueza, ou formação acadêmica, Jesus tinha a impressionantes capacidade de juntar ao redor de si, todos os tipos de pessoas, nós podemos fazer isso, se olharmos para Ele, com o objetivo definido de que “Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!” 1 Tm. 1.17

Isso é apenas um dos reflexos de Amar a Deus sobre todas as coisas e de IGUAL modo o próximo como a ti mesmo…

GT do Usina propõe mais de 40 temas

4 Comentários » sexta-feira, 3 de julho de 2009

Mesmo com o frio e a garoa, a terceira reunião do GT do Usina, que aconteceu ontem, quinta-feira, 2, às 20h, foi bastante produtiva. Embora desfalcados – porque alguns não resistiram às intempéries do clima –, os usineiros se encontraram para discutir novos temas para o evento de outubro.

Como estava combinado, já no começo do encontro foi apresentado o vídeo de divulgação do evento, que estreou um dia antes, junto com o site do Usina. Na sequência, foram novamente as possíveis oficinas do próximo Usina que dominaram as discussões.

Falou-se de cotas e políticas afirmativas, aborto, cinema, urbanismo, cultura de paz, liderança feminina, maioridade penal e mais um tanto de outros assuntos que poderão ser tratados no nosso evento. Junto com as temáticas propostas na reunião passada, são 43 sugestões. Ou seja, já tem trabalho de sobra para o passo seguinte: pensar em quem serão os oficineiros (ou palestrantes, se preferir) pra esses temas.

Os usineiros também aproveitaram o tempo pra começar a discutir alguns dos possíveis nomes pro show de encerramento do Usina, um do momentos mais legais do encontro.

As próximas reuniões deste mês ficaram marcadas para às quintas-feiras, dias 23 e 30, às 20h, no 5º andar da Câmara, sala 514. Não é preciso nem dizer que o convite tá feito, né?

Aliás, se você não tiver tempo de vir às reuniões do GT, aproveite o espaço dos comentários pra sugerir algum assunto que você acha que o Usina 2009 não pode deixar pra trás.